Filme: O Primeiro Mentiroso

O filme O Primeiro Mentiroso é simplista porém muito inteligente. O longa conta a história de um mundo bem diferente do que conhecemos; um mundo onde todos os políticos, publicitários, pessoas comuns, todos só falam a mais pura verdade.

Até que um homem, chamado Mark (Ricky Gervais) que está preste a perder tudo que tem, inventa a “primeira mentira”, e descobre que com essa nova arma ele pode conseguir tudo que quer, desde dinheiro até formar a base para a religião.

Assisti esse filme sem muitas expectativas, mas posso garantir que além de ser um filme engraçado é também um filme inspirador. Nos faz refletir e até mesmo questionar certas convenções sociais nas quais já nos encontramos habituados, em meio a grandes redes de mentiras que hoje enxergamos como verdade absoluta.

O filme conta com elenco de conhecidos atores, entre eles está a atriz Jennifer Garner, o ator Louis C.K conhecido por fazer comédias stad up, o ator Jeffrey Tambor, Rob Lowe e a atriz Fionnula Flanagan que fez filmes como OS Outros e ficou muito conhecida pelo seriado Lost.

Quem assume a direção do longa é o próprio ator Ricky Gervais e Matthew Robinson.

Se você ainda não assistiu, deve assitir. O filme é genial, tem ótimas sacadas e nos mostra que nem sempre contar só a verdade faz as pessoas felizes e que às vezes são necessárias algumas mentiras para podermos viver melhor.

Vale à pena conferir O Primeiro Mentiroso em Dvd e Blu-Ray. =)

Fica a dica do Cinema e Cia.

Beijinhos =)

{lang: 'pt-BR'}

Crítica: Shrek para Sempre

O filme Shrek para sempre, quarto e último filme da franquia, é mais divertido do que Shrek Terceiro, lançado em 2007.

O filme segue a mesma idéia, de beijo do amor verdadeiro e os mesmos personagens já solidificados dentro da Animação.

A história mostra os dias atuais  em que Shrek vive como pai de família com três lindo, ou não, filhinhos e sua esposa Fiona. Ele é visitado todos os dias por um bando de turistas que mostram a sua casa e não se importam por não respeitar o seu espaço. O problema, para ele, é justamente esse: Ter se tornado um Ogro bonzinho que ninguém mais teme, nem mesmo os aldeões.

Só que para fugir, por 24 horas, dessa rotina, Shrek faz um acordo com o vilão Rumpelstiltskin (Foto acima), novo personagem inserido na animação, que também trás muitas risadas durante o filme. Não vou contar o que acontece, obviamente, mas graças a esse acordo, muitas confusões vão rolar.

Na minha opinião, os melhores diálogos e os momentos mais engraçados do filme, são feitos pelo Gato, fofinho, de botas e o Burro.

O filme, com certeza, anima muito as salas de cinema e as risadas das crianças são um show à parte.

Apesar do filme estar sendo divulgado em 3D, há salas de cinemas com exibições normais,  que não modifica a percepção da Animação. O longa é uma ótima pedida para entreter as crianças e também os adultos. Vale à pena conferir.

Beijnhos 
Pri =)

{lang: 'pt-BR'}

Mary and Max

Eu assiti um filme lindo… :)

Desenvolvido com a técnica do stop-motion escrita e dirigida por Adam Elliot, e finalizado com a ajuda da computação gráfica, o filme é baseado em fatos reais, sobre a amizade entre uma menina australiana de 8 anos e um novaiorquino de 44. Ela é gordinha, desajeitada, muito curiosa; sua mãe é uma alcoólatra depressiva e seu pai trabalha numa fábrica de pregar cordões nos saquinhos de chá. Ele é um senhor que sofre da Síndrome de Asperger, recluso em sua casa, seus pensamentos lógicos e seu vício em cachorro quente de chocolate !

Ambos são cheios de pensamentos filosóficos sobre a vida, que só diferenciam-se pela diferença etária. Quem nunca fez as perguntas de Mary quando criança? Quem nunca teve pensamentos de tangência com a teoria de Max, em algum momento da vida?

O mais intrigante é que a amizade entre os protagonista acontece por meio de correspondência, o que me fez relembrar a minha infância e adolescência, quando eu participava de correntes de enviar cartas e manter amizades com outras pessoas que nunca tinha visto na vida. E isso não faz tanto tempo assim, tendo em vista que tenho 26 anos…rs


Mesmo sendo uma animação em stop-motion, geralmente utilizado para filme infantis, não o considero filme para criança. Mary and Max trata de problemas bem adultos, como amor, sexo, dependência alcóolica, depressão e até suicídio. É uma história triste e ao mesmo tempo motivadora, que ensina lições de vida valiosas. E o principal é o fato de tratar a amizade de um jeito singular, dando uma sensação de bem-estar e ao mesmo tempo solidão em quem se coloca no lugar dos protagonistas da trama.

O filme, como disse Érico Borgo do site Omelete, é depressivo no tom e no visual e seria mais sensato chamá-lo de desenho “desanimado” do que desenho animado.

Mas mesmo nesse sentido a história é cativante e linda e ainda têm uma trilha sonora magnífica feita por Dales Cornelius.

Vale à pena ser visto nos cinemas, mas se não for nas telonas, vejam quando sair em dvd… o negócio é não deixar de assistir  :)

Eu me emocionei com os dois personagens e me identifiquei por diversas vez com o protagonista Max, ao se irritar com as pessoas que jogam lixos nas ruas com a lixeiras bem ao lado e por muitas vezes parecer que eu não sei sorrir, de tão rabugenta que eu sou às vezes.

Confiram o trailer legendado:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=KPULUwu0Wm8&w=420&h=315]

Confiram uma cena e música linda do filme (Pode ser um spoiler, então cuidado…rs):

Fonte: CinePop e Omelete

Beijinhos e até a próxima galera :)

Pri

:***

{lang: 'pt-BR'}

Como treinar o seu Dragão

Esqueça lagartos ou iguanas. Cães e gatos, então, não têm a menor chance. A moda agora será ter o seu próprio dragão de estimação – ao menos se você for uma criança viking. Esses seres mitológicos, gigantescos e perigosos ganham ares de criaturas fofinhas na animação.

Baseada numa série de livros de Cressida Cowell, a animação dirigida por Dean DeBlois e Chris Sanders (a mesma dupla de “Lilo & Stitch”) parece o primeiro longa de uma franquia que tem tudo para uma vida longa se agradar ao seu público-alvo: meninos ávidos por aventuras. Embora existam algumas personagens femininas, o universo aqui é dos vikings do sexo masculino, grandalhões, barbudos e com chifres pontiagudos em seus elmos.

Os vikings-mirins são educados para substituir seus pais na batalha contra os grandes dragões que assolam a Ilha de Berk, onde o grupo mora – um lugar antigo, mas com casas novas que são reconstruídas após sucessivos ataques. É impossível exterminar os animais pois, para isso, seria necessário saber onde fica o seu ninho.

Soluço (na versão original, dublado por Jay Baruchel, de “Uma noite no museu 2″) é o filho do chefe da tribo Stoico, O Imenso (Gerard Butler, de “Gamer”), mas não leva o menor jeito para ser um grande viking. Pequeno e desajeitado, o garoto não tem o porte físico para enfrentar dragões, como seu pai.

Capa do livro:

MINHA OPINIÃO: O filme é divertido demais, a história é fofa, é um passatempo não só para as crianças como pra adultos também. Indico que assitam em 3D. E irei assistir novamente nessa quinta-feira. Admito que não tinha lido o livro antes, mas logo após sair da sala do cinema fui a livraria e comprei o livro de “COMO TREINAR O SEU DRAGÃO” e começarei a ler o mais rápido possível. é um livro infanto-juvenil com certeza, mas a história é cativante pra todas as idades. E agora pretendo ler as séries de livros que estão pra vim em seqüência a esse antes da estréia dos filmes nos cinemas.

Trailer oficial Dublado:

Site G1

{lang: 'pt-BR'}

Um sonho possível

SINOPSE: O filme conta a história de Michael Oher (Quinton Aaron), um jovem negro vindo de um lar destruído, que é ajudado por uma família branca, liderada por Leigh Anne (Sandra Bullock) que acredita em seu potencial. Com a ajuda do treinador de futebol, de sua escola e de sua nova família, Oher terá de superar diversos desafios a sua frente, o que também mudará a vida de todos a sua volta.


Esse filme é realmente muito tocante. Ele nos faz pensar sobre como somos egoístas e como faria uma diferença enorme se pensassemos mais no outro.

Só sei que me emocionei muito assistindo e me peguei pensando diversas vezes como seria bom se eu fosse rica e pudesse ajudar o próximo. Mas acho que pequenos atos, não só por uma pessoa ser rica, já fazem uma mudança dentro do mundo em que vivemos. Eu me deparo todos os dias com diversas pessoas que parecem não se importar de viver em um planeta junto com outras milhares de pessoas.

Quando digo pequenos atos, são pequenos mesmo. Como por exemplo ao invés de jogar garrafinhas de água, lata de refrigerantes, papéis de balas pela janela do trem você pode esperar um pouquinho e se dirigir até a lixeira, ou se não tiver lixeira (o que é meio difícil) tentar guardar na bolsa para quando passar pelo lixo ou chegar em casa poder jogar fora. Ou então, ao invés de estacionar na vaga de deficientes tentar procurar uma vaga que não seja, até porque você nunca sabe se esta atrapalhando um deficiente a estacionar.

Eu vi uma matéria a pouco tempo na televisão, falando sobre o modo de vida da população da Suécia que são conhecidos por cuidarem do planeta, e na reportagem eles analisaram que quando alguém chega cedo no trabalho sempre estaciona uma ou duas quadras de distância do local de onde trabalha, e foram perguntar a essas pessoas porque elas fazem isso já que tinha vaga suficiente pra estacionarem próximo ao local de trabalho. E sabe o que responderam??? Elas disseram que como chegaram cedo, ela teriam tempo pra ir andando para o trabalho mesmo deixando o carro longe e que justamente estacionam o carro distante pra deixar as vagas mais próximas para as outras pessoas que chegarem em cima da hora ou que já estão atrasadas, porque para elas ficaria mais difícil encontrar a vaga e ainda perderiam ainda mais tempo andando de outro quarteirão. Isso é pensar no outro. Eu realmente me assustei quando ouvi isso, mas pensei: PUTZ COMO SOMOS EGOÍSTAS!!!

Bom espero que tenham entendido o que eu falei… “Um sonho Possível” tem uma delicadeza e ao mesmo tempo uma força enorme. E o melhor é saber que a história é real. Não estou me centrando totalmente no filme, só estou falando que esse filme nos faz perceber que se quizermos realmente mudar o rumo das coisa, tentarmos ajudar as pessoas, poderemos ver que estaremos ajudando a nós mesmos. Pequenas mudanças de cada um faz o mundo inteiro ser diferente.

Assitam ao trailer:

PS: Definitivamente a atriz Sandra Bullock mereceu esse oscar!

Beijinhos e espero que todos assistam  :)

Pri

;)


{lang: 'pt-BR'}