Resenha: Um Dia

Livro Um Dia

 Sinopse: Você pode passar a vida inteira sem perceber que aquilo que procura está bem na sua frente. 15 de Julho de 1988. Emma e Dexter se conhecem na noite da festa de formatura. Amanhã eles seguirão caminhos diferentes. Mas onde estarão nesse mesmo dia um ano depois? E nos anos que se seguirem?

Um dia, é cativante, comovente e notável!

O livro é contado através da mesma data em que Emma e Dexter se conheceram, no dia 15 de Julho, ano após ano desde a formatura em 1988 até o ano de 2007.

Em 1988 Emma e Dexter são jovens e acabaram de sair da faculdade, estão cheios de sonhos e ideias para mudar o mundo, além das incertezas do que o futuro os reserva.

O autor mostra durante toda a narrativa, como está caminhando a vida de cada um com o passar dos anos. Algumas vezes eles se encontram nessa mesma data, e em outras não. Mas, independente disso, nós leitores, estamos sempre presentes participando e desfrutando de sonhos, motivações, decepções, perdas, ganhos, alegrias e tristezas desses dois personagens.

Me peguei diversas vezes sorrindo e chorando durante a leitura. Me senti participando efetivamente dessa história, crescendo junto e envelhecendo junto, como se os anos também tivessem passando para mim, assim como passava para eles.

Um Dia tem tudo para se tornar um clássico moderno, pela sutileza dos detalhes e esplendor da história que possui uma total proximidade com a vida real.

O mais incrível nesse livro é que esta pode ser a história de qualquer pessoa. Não há grandes feitos, nem batalhas e nem magia. A única coisa que encontramos no meio destas páginas é a vida, perfeita e cheia de imperfeições.

Esta é uma das citações mais bonitas que o autor, David Nicholls, colocou em Um Dia:

“Foi um dia memorável, pois operou grandes mudanças em mim. Mas isso se dá com qualquer vida.
Imagine um dia especial na sua vida e pense como teria sido seu percurso sem ele. Faça uma pausa, você que está lendo, e pense na grande corrente de ferro, de ouro, de espinhos ou flores que jamais o teria prendido não fosse o encadeamento do primeiro elo em um dia memorável.” – Grandes Esperanças de Charles Dickens.

O filme inspirado no livro é singelo e lindo! Não podia ser diferente, entretanto como sempre acontece, a obra literária é muito mais rica.

Quando digo rica, me refiro a emoções. Apesar de ter me emocionado muito assistindo ao filme, acho que grande carga disso ocorreu porque eu li o livro.

Muitas das cenas não carregam a emoção devida, porque não estamos “lendo”, ou melhor, vendo os pensamentos dos personagens principais. E isso faz com que não tenhamos noção da magnitude dos problemas enfrentados.

Outra estranheza, enquanto assistia ao filme, foi que tudo me pareceu corrido demais. É óbvio que se o filme mostrasse todos os detalhes do livro, ficaria muito chato de se assistir. Então por esse motivo, mesmo com esses detalhes que eu citei, Um Dia foi perfeito!

Espero que gostem tanto de Um Dia como eu gostei. Indico essa leitura e filme a todos! Mas leiam o livro antes de verem o filme. =)

Livro: Um Dia
Editora: Intrínseca
Autor: David Nicholls
Páginas: 411

{lang: 'pt-BR'}