Resenha: Dezesseis Luas

“Em Gatlin não havia surpresas.
Pelo menos era isso que eu achava…
Só que eu não poderia estar mais errado. Havia uma maldição. Havia uma garota. E, no fim, havia um túmulo. Mas vamos por partes.
Quando Lena chegou a Gatlin, eu só tinha certeza de uma coisa: ela não se parecia com ninguém que o pessoal daqui já vira. E as diferenças não estavam apenas na aparência, mas isso eu só descobri depois. Ela era a mais nova gata da escola, mas só que, infelizmente, morava com o tio em Ravenwood – leia-se “o recluso da cidade” na “casa mal-assombrada”.
E ainda assim eu não conseguia desgrudar os meus olhos dela. Ela era linda. E diferente. E de fora. Eu tinha certeza de que já tínhamos nos encontrado antes, talvez nos sonhos. É, sei que parece idiota, mas eu vinha sonhando com alguém há tempos, alguém que eu não conhecia, alguém que, no sonho, precisava ser salva ou tipo isso.
Antes de Lena eu estava contando os meses para deixar Gatlin, suas fofocas, seus preconceitos e encenações da Guerra Civil. Agora era diferente, havia Lena, e havia algo entre nós, uma atração que eu não conseguia explicar. Eu precisava conhecê-la melhor e entender o que eu estava sentindo. Mas para isso, eu precisava me aproximar.
E, no caminho, me aproximar do seu tio com fama de louco; Amma nossa governanta supersticiosa, que tinha praticamente me criado; meu pai, que desde a morte da minha mãe só ficava trancado no escritório “trabalhando”; meus amigos e inimigos; as garotas populares da escola…
Pois é, e ainda havia o segredo, o tipo de segredo que não ficaria oculto por muito tempo em um lugar como Gatlin, um tipo de segredo que pode mudar tudo à sua volta…”

Como se pode perceber, o livro é narrado em primeira pessoa por um menino! Isso mesmo o protagonista dessa história é Ethan, um jovem de 16 anos, que nasceu e viveu sua vida inteira em uma cidade pacata, cheia de tradições e costumes. Aquele tipo de cidade pequena onde todo mundo conhece todo mundo. E isso não é bom!

A história possui altos e baixos em sua narrativa que ainda assim, prende o leitor do início ao fim.

Não preciso dizer muita coisa, pois a sinopse acima, feita por nosso personagem principal, resume bem o conteúdo literário. Mas ressalto que o que eu mais gostei em Dezesseis Luas é o fato de finalmente o melodrama sentimental e confuso na vida de um adolescente “comum” é narrado por um personagem masculino. Todo o mistério de Dezesseis Luas fica ainda mais envolvente quando lemos o que passa pela cabeça de Ethan Wate!

Espero que vocês curtam a leitura! =)

E depois corram para curtir o filme que já foi lançado nos cinemas e em breve estará nas lojas.

Livro: Dezesseis Luas
Autoras: Margaret Stohl e Kami Garcia
Editora: Galera Record
Páginas: 488

{lang: 'pt-BR'}