Resenha: Noite Eterna

Sinopse: O aguardado desfecho da Trilogia da Escuridão, do premiado cineasta Guillermo Del Toro em parceria com Chuck Hogan, chega às mãos dos leitores em “Noite Eterna”.

Já se passaram dois anos desde que a epidemia de vampiros se espalhou pelo globo, e agora toda raça humana encontra-se à beira da aniquilação. Enquanto o inverno nuclear cai sobre a Terra e o sol infiltra-se apenas por duas horas a cada dia na atmosfera envenenada do planeta, a noite eterna persiste e o ambiente é perfeito para a propagação da peste. (…)”

Quando terminei de ler o segundo livro – A Queda – fiquei chocada com o final. Pois, simplesmente, queria continuar a leitura e não podia. O livro terminou de uma forma totalmente agoniante que eu precisava saber desesperadamente o que acontecia com os personagens.

Bom, quando finalmente tive em minhas mãos o último livro da trilogia da Escuridão – Noite Eterna – devorei-o rapidamente… quero dizer, li-o rapidamente. =)

O livro dá um pulo de 2 anos na história, o que é muito bom, porque dessa forma, sentimos os efeitos de um futuro devastador, após o surgimento desses seres malignos que se apossaram do planeta.

Todo o lado sombrio e opressor presente nos dois primeiros livros, está ainda pior em ‘Noite Eterna’.

A raça humana foi sobrepujada por uma raça “superior”. Vivemos em um mundo onde somos tratados da mesma forma em que criamos os animais no qual, hoje, nos alimentamos. Toda uma civilização presa para ser utilizada em um único propósito: acabar com a fome da nova raça que caminha sobre esta terra.

Além de toda tristeza e falta de esperança, a resistência humana continua ativa, se mantendo viva, lutando por um futuro em um planeta, que até então, encontra-se devastado.

Vale ressaltar, que o final do livro nos deixa com uma sensação de vazio e descrença de que o livro, realmente, chegou ao fim. Cheguei a cogitar a hipótese, um pouco antes do desfecho final, que talvez houvesse um quarto livro que eu desconhecesse, tamanha a sensação de “não é possível que o final esteja mesmo nessas páginas!” Mas acreditem, o final estava mesmo naquelas páginas…. e mesmo, não sendo o tipo de final que eu esperaria, não fiquei chateada.

A leitura desta série foi maravilhosa. Lia o livro roendo as unhas e sempre apreensiva, querendo saber o que aconteceria nas páginas seguintes.

Espero que vocês também curtam este livro, assim como eu curti!

Ps: Mas não se esqueçam, esse livro trata-se de um 3º volume de uma trilogia. Então, leiam os primeiros dois livros antes de pegar nas mãos o Noite Eterna… ok?

Boa leitura a todos!

Livro: Noite Eterna – Trilogia da Escuridão
Autores: Guillermo Del Toro e Chuck Hogan
Editora: Rocco
Páginas: 414

{lang: 'pt-BR'}

Resenha: A Culpa é das Estrelas

“Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante – o que lhe dar a promessa de viver mais alguns anos – , o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico.
Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.”

A Culpa é das Estrelas é singelo, comovente e brutal.

Após terminar a leitura, não consegui me concentrar em muita coisa. Só fiquei sentada durante um tempo, olhando para as paredes, para o teto, para o nada… absorvendo a simplicidade de uma história que me prendeu do início ao fim.

O que mais me tocou na escrita deste livro é o modo como o autor trata um assunto tão pesado com tamanha leveza. Trechos de humor e melancolia preenchem essas páginas de uma forma tão completa que nos faz esquecer o mundo a nossa volta.

Nossa protagonista é uma adolescente como qualquer outra, gosta de ficar na internet, ler, passear. Mas ela se diferencia não só por possuir uma doença que a consome dia após dia, mas também por ser engraçada e irônica apesar de enfrentar um câncer que a levará um dia embora para longe de seu pais, amigos e do mundo como ela conhece.

Apesar de aceitar sua morte com bravura, ela se preocupa com seus pais e a forma como enfrentarão sua ausência.

“Só tem uma coisa pior nesse mundo que bater as botas aos dezesseis anos por causa de um câncer: ter um filho que bate as botas por causa de um câncer.” Pág.15

As frases e pensamentos de ‘A Culpa é das Estrelas’ são realmente fantásticos. São tantas citações dignas de destaque que fica difícil escolher. Outra, que gostei muito, e nos faz refletir (ao menos, me fez refletir) foi esta aqui:

“Crianças com câncer são, no fundo, efeitos colaterais da mutação incessante que tornou a diversidade da vida na Terra possível.”Pág.50

Admito que demorei um pouco pra mergulhar nesta leitura, mas confesso que quando mergulhei, me entreguei por completo e de tal forma, que sinto como se conhecesse muito bem cada personagem ao ponto de me ver  sozinha e vazia ao término do livro.

É realmente, “você vai rir, vai chorar e ainda vai querer mais” depois que acabar.

Me desculpem, por não escrever uma resenha muito grande, até talvez, por não usar as palavras certas que expressem o quanto esse livro é bom. Mas, eu continuo com a minha meta de fazer resenhas sem dar spoilers e acabar com a graça de quem ainda não leu.

Espero de verdade, que vocês leiam ‘A Culpa é das Estrelas’, pois cada linha deste livro, na minha humilde opinião, foi pra mim, uma experiência muito boa.

Livro: A Culpa é das Estrelas
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 283

{lang: 'pt-BR'}

Resenha: A Hospedeira

“Melanie Stryder se recusa a desaparecer. Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo.

Quando Melanie, um dos humanos “selvagens” que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a “alma” invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente.

Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.”

Basicamente, a sinopse do livro deixa bem claro o conteúdo literário. Mas vou acrescentar o meu ponto de vista mesmo assim…rs. ;)

Eu sou apaixonada por histórias Pós-Apocalípticas, ainda mais se estas ocorrem por invasão alienígena. Por esse motivo digo, que apesar de ser incomum juntar romance com ficção científica, a Hospedeira é um livro que acertou bem no ponto. Nada ficou demais na história, tudo teve seu peso e o equilíbrio da narrativa ficou perfeito.

A história te prende no universo de Melanie e Peregrina, te fazendo pensar como seria ficar presa dentro do seu próprio corpo, sem ter como expressar absolutamente nada ao mundo exterior.  Todos os conflitos de uma sociedade subjugada aos modos de uma nova civilização em um planeta considerado nosso é absolutamente instigante. A luta pela sobrevivência é cansativa e muito perigosa, mas apesar de toda a exaustão de um amanhã incerto, a raça humana mostra a força e a garra pra continuar existindo. Gostaria muito que, se um dia acontece algo do tipo em nosso planeta, pudéssemos lutar com a vontade com que lemos nas histórias e vemos nos filmes. =)

De resto, prefiro que vocês mesmos leiam. Sei que existem pessoas que não gostam da Saga Crepúsculo, isso vai, realmente, do gosto de cada um. Mas, peço para que não tenham preconceitos com o livro “A Hospedeira” por se tratar de uma obra da autora Stephenie Meyer, pois a história é realmente diferente. Através das palavras da autora refletimos, muitas vezes, sobre o que é ou não é ‘ser humano’. Pois isso vai muito além da nossa compreensão.

Ainda mais que, Você nunca sabe quanto tempo vai ter.”

Espero que tenham gostado e boa leitura a todo!

Livro:  A Hospedeira
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Páginas: 557

 

{lang: 'pt-BR'}

Saiba como ter uma boa leitura!

Ler, Ah como é bom pode viajar por outro mundo em alguns minutos de leitura, não é?

Mas diante da falta de tempo, é comum a leitura ocorrer em lugares inusitados, como no ônibus, na cama e em ambientes escuros. Mas será que esses hábitos de leitura podem prejudicar a vista? Segundo o oftalmologista Wagner Ghirelli do Hospital Santa Catarina, na verdade, quanto mais lemos, melhor.

“Quem lê muito tem uma capacidade visual melhor e lê mais rápido.” Com o uso do computador, há pessoas que se tornam muito ágeis e desenvolvem habilidade visual muito grande, já que associam habilidade visual com motora.”

Vamos saber mais sobre esse tema, e conferir algumas dicas de especialistas.

Ler no ônibus faz mal?

Há quem acredite que esse hábito pode causar até mesmo descolamento de retina, mas não é verdade. “O problema na retina é relacionado a traumas e independe de hábitos relacionados à leitura”, explica o oftalmologista Omar Assae. Um baque muito grande, por exemplo, é o que pode causar o descolamento, que é mais comum em pessoas com alto grau de miopia ou com diabetes.

O que a leitura no ônibus pode causar é incômodo e mal-estar, pois o balanço do veículo provoca uma confusão no sistema vestibular do cérebro, responsável pelo equilíbrio.

Leitura no escuro é prejudicial?

Ler em locais com pouca luminosidade está longe de piorar doenças como miopia, tampouco “forçar a vista”. O que pode acontecer, é a fadiga, ou seja, sensação de cansaço dos olhos, já que é preciso forçar mais para enxergar.

“O que se recomenda é apenas não permanecer muito tempo com o foco de visão em um mesmo objeto próximo, já que isso causa dor de cabeça e sensação de baixa visão”, aconselha o oftalmologista. “O ideal é fazer pequenas pausas durante a leitura.”

Tablets deixam a vista cansada?

Ler em tablets também não pode ser considerado um mau hábito, pelo contrário o oftalmologista vê esses gadgets como aliados da boa leitura, já que a função “zoom” permite aumentar as letras, o que confere melhor visualização, além da possibilidade de ajustar a iluminação ao seu conforto.

É importante lembrar, apenas, de fazer pequenas pausas, já que o esforço repetitivo para visualizar imagens em curta e média distância causa o ressecamento da vista. Uma pessoa pisca os olhos, em média, 20 vezes por minuto, enquanto em frente ao eletrônico pisca apenas de seis a sete vezes.

Leitura na praia é permitida?

A luz da praia exige mais cuidados. Essa luminosidade excessiva, segundo o oftalmologista Wagner Ghirelli, pode gerar degenerações na retina, . Por isso, a leitura exige óculos escuros ou, pelo menos, um boné para proteger os olhos da luz intensa.

Crianças precisam de cuidados ao ler?

Para os pequenos, ficar muito próximo ao livro ou da televisão, computador etc, pode levar ao desenvolvimento de miopia, que pode se agravar com o tempo. “Isso faz com que o olho tenha um crescimento maior do que deveria ter pelo fato dela ler muito de perto”, esclarece Wagner Ghirelli. Mas esse risco só vale para crianças. Em adultos, ler com o livro muito perto pode causar, no máximo, desconforto.

Mais do que se preocupar com boatos, é preciso prestar atenção em pequenas atitudes que, com certeza, vão garantir maior conforto durante a leitura:

– Independente de ser livro, tablet etc., o objeto deve ficar a, aproximadamente, 40 cm de distância dos olhos, com luminosidade adequada (determinada pela sensação de conforto ao ler).

– O objeto de leitura deve ficar sempre abaixo dos olhos, nada de deitar na cama e colocar o livro acima deles;

– A iluminação é importante aliada de leitura e não pode incomodar a visão, seja pela falta ou pelo excesso.

E você costuma ler? Não???? Então comece esse hábito maravilhoso hoje mesmo! ;)

Fonte: Dentro da República

{lang: 'pt-BR'}